h1

Artesanato / Madeira / Pintura / Abajur / Lampshade

03/11/2013
Dutra Máquinas
PATROCINA ESTE POST

Abajur de Madeira e Plástico – Lampshade

Este projeto está comigo para acabamento já tem alguns anos e agora, finalmente, foi terminado. O abajur é feito com ripas de madeira na espessura de 1 x 1 cm e uma base de 1 cm de espessura mas com 3,5 x 14 cm.

12B

Começamos com a apresentação do projeto com as medidas:

proj_abtjour_01proj_abtjour_02Medidas apresentadas e matéria prima cortada, vamos começar a preparar os encaixes. Os encaixes foram programados para que as partes se completem sem que sejam sobrepostas. Vamos deixar que as imagens expliquem melhor.

19A  ilustr_02

A ideia vocês já pegaram, mas como fazer esse rebaixo na ripa? Existem várias formas de fazer este rebaixo para que o encaixe funcione. Vou apresentar duas delas.

ilustr_03  ilustr_04

Na primeira, faça a marcação das distâncias da ponta, e com ajuda de uma serra circular (cuja lâmina deve estar aparente apenas 0,5 cm) passe pela serra o suficiente para gastar apenas 1cm de largura. Faça isso em todas as ripas de 18 cm. Outra forma é com o uso de uma lâmina de serra e um formão. Com a serra, faça dois cortes de 0,5 cm de profundidade, com largura de 1 cm entre eles. Com alguma habilidade, vá eliminando o intervalo entre os dois cortes com a ajuda de um formão, usado na posição diagonal. Nesta forma, se quiser, pode fazer mais cortes entre os cortes limites para facilitar a remoção dos pedaços do intervalo. Vamos dar mais uma olhada na forma do encaixe.

ilustr_01  18A

Montada a estrutura conforme as medidas apresentadas no desenho do projeto, a aparência do conjunto ficará assim:

20A

Ah! Não podemos esquecer de escolher qual será a parte de baixo para inserir aquela madeira que será a base do soquete. Esta madeira deverá ser colocada por dentro, e fixada com cola e dois pregos inseridos através das ripas. Dois preguinhos de cada lado e a cola evitarão que escape ou gire.

Aqui começa a colocação da cobertura ao redor da luminária, cuja função é difundir a luz sem que a lâmpada seja vista diretamente.

Como não achei este tipo de material no mercado sendo vendido em folhas, optei por comprar uma pasta (vendida em papelarias) cujo material era translúcido o suficiente para deixar passar uma linda luz branca.

01A

O corte para retirada das partes que seriam usadas foi feito deste modo:

03A  04A

Marcar sob cada lateral da pasta um retângulo de 29 x 17,8 cm e cortar, formando assim dois retângulos que deverão receber vincos (feitos com uma régua  e um clips para papel) como na imagens. Seguem as medidas no projeto abaixo:

proj_abtjour_04

Apesar do intervalo entre a estrutura de cima e a de baixo ser de 18 cm, o plástico deve ser cortado com 17,8 cm para evitar que qualquer pequena variação na montagem impeça a colocação do mesmo. Caso seja necessário, retire mais 1 mm em cima e em baixo do plástico. A dobra com 1 cm é para encaixe em uma das barras para sobrepor e servir de base para fixação, como vemos na próxima imagem.

05A

Antes de fixar os plásticos nas laterais, devemos cuidar da parte elétrica do Abajur. Os materiais necessários mostrados na foto são: uma lâmpada de 15w (tipo e watts à sua escolha, não passando dos 20w na lâmpada econômica e de 40w na incandescente – lembre-se, isso é um abajur e não um farol), um soquete (preferencialmente de porcelana), um plugue (com a nova pinagem), um metro de fio (mais ou menos, conforme sua necessidade) e um interruptor (do tipo pêra), que deve ser colocado em meio ao fio (obedecendo uma distância do abajur ao seu critério). Para isso, precisaremos de uma faca tipo Olfa para descascar os fios, uma chave de fenda pequena e uma chave philips pequena ,

06A  07A

Conforme mostrado, as ligações são simples e devem ser feitas com muita atenção e capricho. Caso não tenha conhecimento algum de eletricidade ,peça ajuda a alguém próximo que tenha. Fixe o soquete no centro da madeira de base do fundo com a ajuda de um parafuso que deverá se fixar na madeira (marcada previamente), partindo de dentro do soquete até a madeira. O fio deverá sair por baixo do abajur.

08

Finalmente, vamos fixar os plásticos laterais. A fixação será feita com parafusos que deverão ser colocados em duas laterais, sobrepondo a parte inteira sobre a parte de 1 cm que está apoiando e segurando a outra lateral. Veja nas imagens se fica mais claro.

10A  11A

Entenderam? cada dobra de 1 cm ficará oposta a outra e por baixo da folha maior de plástico, recebendo a seguir os parafusos (equidistantes – distâncias iguais) que, além de fixar os plásticos laterais, dão um acabamento bonito. São parafusos bem pequenos, apenas para prender na ripa de 1 cm.

12A13A

Sucesso! Teste na tomada mais próxima e aproveite. Caso curta, você pode decorar as laterais com Contact preto recortado em um formato de um desenho discreto (como letras japonesas, por exemplo). E, como um lado do plástico é liso e outro áspero, você pode se utilizar de Insulfilm (aquele para vidros de carro) e colocar um desenho, deixando a luz passará através. Mãos à obra.

h1

Artesanato / Reciclável / Regador

15/08/2013
banner animado

PATROCINA ESTE POST

Título-Reciclagem

Regador- Produzido com embalagem de Sabão Líquido

Olá! Faltava em nosso blog posts que sugerissem projetos em que nos utilizamos de materiais já usados e prontos para o descarte correto, os recicláveis. Desenvolvimento sustentável e sem agredir o meio ambiente tem como base os 3 Rs: REDUZIR, REUTILIZAR e RECICLAR.

Com este projeto, estaremos REUTILIZANDO uma embalagem, que poderia estar indo para reciclagem, e a transformamos, dando novo uso a ela.

reg_01AUma embalagem de Sabão Líquido, que se encontra facilmente nos mercados, com pouco passos pode se transformar em um prático regador.

reg_01B

Para sua execução vamos precisar de uma embalagem vazia, que deverá ser bem lavada e enxaguada várias vezes, até não sair mais água com espuma. Se o cheiro persistir, deixe-a cheia de água com uma boa dose de vinagre por alguns dias, repetindo a operação caso seja necessário. Se sobrar apenas o cheiro, tudo bem, o importante é não conter mais resíduos de sabão.

reg_01C

Iremos precisar dos seguintes materiais:

  • Lâmina de serra;
  • Estilete (faquinha com lâminas de corte);
  • Caneta de tinta permanente ou de retroprojetor (precisa marcar o plástico);
  • Um pedaço de lixa;
  • Cola quente;
  • Serras de copo para furadeira (pode ser substituído por uma tesoura de ponta).

reg_02reg_03

O primeiro passo é marcar com a caneta o formato que deseja para a abertura de seu regador, sobre o gargalo da embalagem. Comece fazendo um corte no lugar menos espesso com o estilete, e depois insira a serra e vá cortando sobre o risco. Se preferir use o estilete ou uma tesoura de ponta para o processo todo, mas tenha o dobro do cuidado, pois esses instrumentos requerem atenção e alguma habilidade com seu manuseio. Após retirar o gargalo, reserve-o e lixe-o juntamente com a aresta do buraco, para dar acabamento a ambos.

reg_04A tampa também precisará de corte, na parte em que que excede o final da rosca (nem todas as marcas possuem este excesso).

reg_05reg_06

Utilizando-se do gargalo retirado, faça uma marcação sobre a lateral da embalagem com a circunferência interna do gargalo. Deve ser a interna, e não a externa. A altura da marcação determinará até onde você poderá encher seu regador. Faça numa altura que deixe a peça com aspecto de regador. Da mesma forma que no processo de retirada do gargalo, faça este furo, lembrando sempre de ter muito cuidado com o uso de ferramentas cortantes.

Caso tenha serra de copo, utilize da furadeira com a serra de copo com o diâmetro que mais se aproxime da parte interna do gargalo. Novamente, passe lixa sobre a borda do furo para gerar um bom acabamento. Não exagere na força, basta tirar as rebarbas mais aparentes.

reg_07reg_08Agora, pegamos o gargalo e retiramos o excedente de plástico ao seu redor, utilizando uma tesoura. Retire apenas o que sobra antes de chegar no fim do gargalo. O apoio que limita a a rosca da tampa deve ser mantido. A tampa receberá um furo que terá o diâmetro que você desejar.

A escolha do diâmetro do furo determinará mais ou menos água. Este furo da foto possui aproximadamente 7 milíletros de diâmetro. Outra sugestão é fazer diversos furos na tampa, deixando-a como um chuveirinho, outro tipo de regador. Se você tiver outro pote igual, pode ter uma tampa de cada tipo, para diferentes ocasiões e usos.

Com cada uma das peças, gargalo e tampa, você colocará o gargalo por dentro e a tampa por fora.  Ao inserir o gargalo por dentro da embalagem ele deve passar apertado pelo furo (o que evitará vazamentos) e sairá para fora da embalagem até que aquele limite citado antes.

reg_09reg_10

Do lado de fora a tampa deverá ser rosqueada e apertada o suficiente, girando o gargalo por dentro para que o furo na tampa fique posicionado para baixo. Posicionando o furo dessa maneira, a saída de água será facilitada.

Caso haja vazamento de água, contorne toda a rosca na parte interna do regador com cola quente. Deixe secar por uma hora e teste para ver se ainda há escape de água, consertando esses possíveis vazamentos.

reg_11Outros projetos podem ser criados partindo deste raciocínio. Na foto acima, utilizamos uma embalagem de óleo para motores de automóveis para criar um protetor contra chuva e Sol para tomadas e interruptores externas.

No futuro, outros projetos de reutilização serão apresentados aqui. Enquanto isso, desenvolva os seus com sua criatividade, e colabore para que não tenhamos tantos materiais sem um segundo ou terceiro uso. Até.

h1

Artesanato / Madeira / Pintura / Futebol de Dedos (dedobol)

26/04/2012
Dutra Máquinas

PATROCINA ESTE POST

Campo de Futebol de Dedos – Dedobol

Quem não se lembra do campo de preguinhos que era jogado com uma moeda? Quantas tardes sentados na calçada, tendo como diversão um campeonato de futebol de pregos entre a criançada da rua!

Então, vamos além da lembrança e vamos executar um. Que seja para os filhos, os sobrinhos, os netos, meninos ou meninas e até mesmo para você.

Primeiro, o projeto com as medidas da madeira, das peças laterais e um diagrama das medidas do campo.

Comece cortando a madeira que será a base ou fundo do nosso campo, uma madeira compensada de 1,5 cm de espessura. Corte também as madeiras que fazem as laterais do campo. As madeiras das laterais são frisos de cedrinho com espessura de 1,0 x 1,0 cm.  Após o corte, lixe todas as peças para tirar as imperfeições e farpas.

Após o lixamento das partes, o passo seguinte é aplicar uma demão de tinta látex branca. A finalidade desta demão de branco, como sempre explico, é evitar que a próxima camada de tinta – que será com tinta esmalte sintético verde – seja absorvida em demasia, necessitando assim de várias demãos para dar cobertura. Serve também para eliminar um pouco mais da textura da madeira. Isso feito, espere secar e lixe tudo com uma lixa fina (número 180 ou 120 para madeira).

Pronto, está tudo no jeito para colorirmos nosso campo. Proteja com fita crepe as laterais do campo para não sujar as bordas de tinta. Com um bom pincel, aplique uma ou mais demãos de tinta esmalte sintético verde médio. Cuidado, você deve esperar secar bem entre uma demão e outra, e passar uma lixa fina de leve na demão anterior só para tirar um pouco do brilho. Isso ajudará a demão seguinte a impregnar-se na anterior. As madeiras laterais, bem como a lateral e parte traseira do campo, devem ser pintadas com esmalte sintético branco.

Se quiser deixar a aparência do seu campo mais incrementada, faça faixas mais claras imitando um gramado mais claro no campo. Para tanto, use a fita crepe como largura para espaçar as faixas que serão pintadas, e ao mesmo tempo fazer uma máscara, evitando sujar a área verde escura. Para obter o verde mais claro, separe um pouco do verde escuro e adicione gotas de esmalte sintético branco até atingir a cor desejada. Aplique esta cor com um pedaço de espuma. Atenção para não deixar o verde muito claro, o ideal é que fique em um tom próximo do verde escuro. Caso a tinta entre um pouco por baixo da fita crepe não se preocupe, ficará parecendo efeito de gramado (assim como o da foto).

Espace as faixas de modo que cubram  todo o campo simetricamente, não deixando nem faltar nem sobrar faixa de outro tamanho. Retire as fitas antes de secar, assim evitamos que ao ser retirada a fita estrague a área recém pintada ou a área verde escura. Seguindo o diagrama do projeto com as medidas fornecido no início desta postagem, faça as linhas de campo, e com um pincel bem fininho (tigre número 1) pinte as linhas com esmalte sintético branco. Caso borre um pouco, corrija depois com o mesmo pincel nas cores verde claro ou verde escuro. Cole as bordas de madeira ou pregue-as com preguinhos bem finos que cubram a altura da madeira lateral e ainda penetrem na madeira do fundo. As laterais maiores devem ser fixadas antes que as das linhas de fundo.

Já está levando o maior jeito de campo de futebol, não está? Agora, devemos pegar 22 pregos 11×11 e distribuí-los de forma a não deixar muitas áreas ou corredores para se fazer gols. A distribuição proposta aqui dificulta a marcação de gols, mas não evita que eles aconteçam. Os pregos devem ser afundados na madeira até ficarem ligeiramente abaixo da altura da madeiras das laterais do campo. Isso evita que ao ser transportado ele machuque alguém ou estrague alguma coisa. Muito IMPORTANTE: a distribuição dos pregos deve ficar IGUAL dos dois lados, assim nenhum lado fica prejudicado na hora de fazer gols.

O resultado deverá ficar próximo ao da foto abaixo. Joga-se com uma moeda, bolinha de gude ou plástico e se ficar muito fácil fazer gols, é só aumentar a moeda que a dificuldade aumentará junto.

Se quiser, pinte a cabeça dos pregos como no exemplo, ficará mais colorido. Agora, é só organizar o campeonato e divertir-se. Até mais.

h1

Artesanato / Madeira / Pintura / Boneco de Neve

07/12/2011
Dutra Máquinas

PATROCINA ESTE POST

Objeto de Decoração de Natal

Nossa escolha de projeto faça você mesmo de bricolage desse mês envolve mais um pouco de madeira recortada e pintura. Escolhemos a figura do Boneco de Neve por ser um dos símbolos do Natal com um traçado simples de fácil execução. O tamanho sugerido no projeto é de 65cm, mas você poderá colocar na proporção que quiser. Segue o projeto.

Materiais necessários:

- um pedaço de madeira compensada de 5mm de espessura no tamanho suficiente para realizar seu projeto;
- lápis macio para riscar a madeira
- máquina de serra tico-tico;
- lixa 180 para madeira;
- pincéis, fino e chato;
- tinta látex para fundo;
- tintas esmalte sintético nas cores branca, vermelha, verde e preto;
- fio de nylon.
 

Depois de determinar o tamanho que quer seu boneco, risque sobre a madeira compensada. Recorte o contorno com a ajuda da serra tico-tico (use uma serra de  acabamento fino para evitar de levantar lascas na borda do compensado).

Depois de recortar tudo é o momento de lixar as bordas para eliminar as lascas que possivelmente tenham se soltado. Evite arredondar a borda da madeira ao lixar. Lixe de forma plana com a superfície da madeira em forma de círculos. Nas bordas, segure a madeira firmemente e passe no sentido do topo das fibras (apenas para tirar alguma imperfeição).

Para evitar que a madeira absorva muita tinta e também para diminuir as imperfeições de sua textura, uma demão de tinta látex aplicada com pincel ou rolinho de espuma se faz necessária. Lixar após bem seca.

Agora estamos prontos para pintar. Esta pintura é uma sugestão apenas. Você pode ter a sua ideia para a escolha de cores do cachecol, da cartola e até acrescentar mais elementos ao visual, como festões, luzes, etc. Para pendurar, faça pequenos furinhos no topo da cartola e passe um fio de nylon que servirá de alça no verso para pendurar em um prego ou elemento da sua porta.

Outros desenhos podem ser aproveitados para aumentar os elementos de decoração. Experimente!

Feliz Natal a todos!

h1

Artesanato / Madeira / Pintura / Cursores

23/10/2011
Dutra Máquinas

PATROCINA ESTE POST

Objeto de decoração de parede

Nosso projeto de bricolage envolve duas sugestões de elementos para decorar a parede próxima ao computador ou onde preferir. Sempre no estilo decoração faça você mesmo. São as duas formas mais comuns de cursores de computador, a seta e a mãozinha. Abaixo, os projetos de cada tipo de cursor:

A madeira usada para este projeto é o MDF de 1cm de espessura. Para sua confecção precisaremos de:

  • 1 pedaço de MDF de no mínimo 30 x 24cm
  • Lápis preto
  • Máquina de serra tico-tico
  • Lima fina
  • Lixa para madeira 180
  • Pincel
  • Solvente de tinta
  • Base seladora para madeira
  • Estilete
  • Tinta esmalte sintético na cor branca
  • Tinta esmalte sintético na cor preto fosco
  • Adesivo preto.

Após transferir o desenho do projeto fornecido usando carbono ou qualquer outra forma, divide-se a madeira para facilitar o corte, que será a próxima etapa.

Neste passo o corte será feito com uma máquina de Serra tico-tico, e portanto todo cuidado deverá ser tomado. Óculos protetores são indispensáveis. Como o pedaço a ser recortado é pequeno, a peça deverá estar presa com grampo à bancada de trabalho para evitar acidentes com as mãos. Para que este recorte seja bem feito não se deve ter pressa. Os cantos onde se encontram os cortes devem merecer toda atenção, pois o momento de parar o avanço da serra é que determina a precisão desta aresta interna e externa. Pratique em um outro pedaço até adquirir este controle de acabamento.

Para que o acabamento do corte fique o melhor possível, utilize-se de uma lima fina e de uma lixa 180 para madeira. Passando primeiro a lima e depois a lixa, qualquer rebarba do corte desaparecerá ou será muito atenuada. Passe de forma bem leve sobre a superfície para que a base seladora pegue bem.

Antes de pintar com a tinta branca é necessário uma demão de base seladora para madeira, pois o MDF é um material muito absorvente. Com esta demão, a madeira consumirá menos tinta, evitando inúmeras demãos para dar cobertura. Após secar a demão da base seladora, aplique a tinta esmalte sintético na cor branca por cima e aguarde a sua total secagem. As laterais também devem ser pintadas. No caso do cursor em formato de mão, as laterais e as arestas deverão receber uma pintura na cor preto fosco.

Aguarde a total secagem da peça e para finalizar, com o adesivo preto recortado em tiras de 1 cm de largura, faça os detalhes pretos na parte superior da peça. Tenha como referência o desenho do projeto.

No caso do cursor tipo seta, a parte que deve ficar preta é a central. Para tanto, recorte o adesivo preto (conforme modelo do desenho) e aplique sobre a peça. Pressione bem sobre a superfície usando um pano que poderá servir para empurrar para as extremidades as possíveis bolhas que venham a se formar. Caso não consiga levá-las até a bordas, recomendamos que faça um furinho com a ajuda de um alfinete e pressione para sair o ar aprisionado.

Pronto. Seus cursores estão terminados. Agora, para encerrar, faça um furo (que não deve exceder a espessura do MDF) bem no centro da parte de trás, para pendurar na parede com um pequeno preguinho.

h1

Ferramentas / Alicate

06/09/2011
Dutra Máquinas

PATROCINA ESTE POST

Nesse post escolhemos uma ferramenta das mais utilizadas pelo homem, de uso geral e comum, o ALICATE. Ele é composto por duas hastes  que se cruzam, e usando um ponto de apoio como alavanca transferem e ampliam a força aplicada por seu usuário. Forte e versátil, em sua grande maioria são fabricados em aço temperado. A origem do nome é árabe (al likkát ou al-liqât) que significa “tenaz”. Seu funcionamento basicamente se trata da força da mão que, aplicada aos cabos, transfere este torque à cabeça, conferindo a este qualidades de uma pinça extremamente forte. Muito útil para segurar, apertar, torcer e cortar. Fora o modelo mais utilizado (Universal), o design da extremidade varia para ser adaptado a tarefas específicas como se fosse uma mão, ou um prolongamento da mão.

AS PARTES DE UM ALICATE SÃO:

Cabeça do Alicate: é a parte que executa a ação. Na maioria das vezes é nesta área que são feitas as modificações de design para se adequar ao tipo de necessidade do usuário. Na sua grande maioria é composta por mordedores e lâminas de corte.

Articulação:  ponto que une as duas partes que formam o alicate. É neste ponto que por alavanca a força é transferida para a cabeça. Como são duas alavancas recebendo força de direções opostas, o material é prensado sob extrema pressão.

Cabos: são os responsáveis por transmitir a força através da alavanca formada pela articulação. De tamanhos variáveis conforme a necessidade da força, possuem na sua maioria um isolamento que lhe conferem: conforto na pega, aderência, proteção mecânica e isolamento elétrico.

Com relação ao isolamento elétrico, quando um alicate é isolado corretamente, em seu cabo constará uma marcação. (Conforme Norma NBR 9699 e Norma Regulamentadora 10 – NR10)

ALICATE UNIVERSAL: o mais popular, por ter características mais comuns a todos os trabalhos. Uma boa área de dentes, uma ou mais áreas de corte e principalmente uma excelente resistência. Usado  na maioria das vezes em trabalhos de mecânica, eletrônica e construção civil.

ALICATE BOMBA D’ÁGUA: Por ter várias regulagens de tamanho final da pega, este é ideal para reparos hidráulicos e gás, pois sua regulagem se adapta a vários tamanhos de canos de PVC, ferro ou cobre e mangueiras, bem como terminais. Ferramenta útil para sua caixa de ferramentas, pois dada a facilidade e rapidez de ajuste ao objeto, torna-se indispensável em emergências de vazamentos. Conhecido também por Alicate Bico de Papagaio.

ALICATE DE PRESSÃO: possui um sistema de alavancas que multiplicam ainda mais a força do alicate. Sistema de trava permite manter o objeto travado no aperto, com uma potência de fixação que chega perto de 1 tonelada. Tendo vários modelos com variações no desenho do seu bocal, ele se adapta com facilidade aos mais diversos perfis e utilidades. Facilita o trabalhar sozinho.

ALICATE TORQUÊS: próprio para arrancar e segurar objetos. Corta arames, pregos, algumas espessuras baixas de vergalhões, cascos de animais e azulejos, tudo isso graças a pequenas alterações de formato em seus modelos. Quanto mais longo seu cabo, maior força é inferida ao objeto entre as lâminas. Muito usada na construção civil para armar e prender com arames as estruturas de ferro.

ALICATE DE CORTE FRONTAL: semelhante ao torquês, tem sua cabeça diferente dos alicates tipo universal, proporcionando pegas melhores e corte rente com excelente acabamento.

ALICATE DE BICO: tem a mesma função dos modelos comuns, porém seu formato da cabeça se adapta às necessidades da função a que se vai utilizá-lo. Disponível em vários modelos, que incluem desde bicos arredondados para artesanato e bijuterias, como alguns de bico torto, bico achatado, bico sem ranhuras para não marcar o material e etc. Muito útil em trabalhos que pedem precisão e firmeza.

ALICATE PARA CRIMPAGEM: são ferramentas próprias para colocação de terminais nos cabos de telefone e internet. A ferramenta descasca os finíssimos fios com precisão, e também realiza a colocação do terminal nestes fios e por meio de pressão esmaga parte do terminal com pequenas facas que furam a cobertura do fio, criando contato e fixando firmemente.

ALICATE DESCASCADOR DE FIOS: como o próprio nome indica, esta é a sua função. Com terminais afiados e uma porca reguladora da profundidade do corte, este é apertado contra a capa isolante e se bem regulado retira apenas esta capa isolante do fio sem danificar o cobre interno, facilitando e dando rapidez a um trabalho repetitivo. Usado na elétrica e eletrônica.

ALICATE DE CORTE: com a aparência de um alicate de unhas reforçado, este alicate transfere muita potência ao corte, sendo indicado conforme, o tamanho utilizado, para indústria ou artesanato e eletrônica.

Mostramos aqui apenas alguns modelos de alicates de uma infinidade existente. Dada a sua versatilidade, é impossível pensar em um kit básico de ferrementas sem pelo menos o modelo Universal. No caso de ferramentas, a marca e o investimento feito agregam qualidade, precisão e durabilidade desta ferramenta que, se bem cuidada, fornecerá muito tempo de bons serviços.

CUIDADOS COM O SEU ALICATE:

  • Cada alicate tem sua função específica, mas existem funções que realmente não são para esta ferramenta.
  • Não usar para bater pregos ou arrancá-los;
  • Não usar para desatarraxar parafusos;
  • Não segurar peças muito próximas a áreas que estarão sendo soldadas ou aquecidas;
  • Não exceder a bitola máxima de corte;
  • Evitar cortar fios elétricos em que ainda esteja correndo energia, principalmente sem cabos isolantes na ferramenta;
  • Não utilizar solventes para sua limpeza, pois o material isolante poderá sofrer danos;
  • Deve sempre ser guardado seco, e eventualmente a parte de metal exposta deve receber uma fina camada de micro óleo;
  • Não utilizar extensões no cabo para aumentar sua força, pois poderá estar saindo das especificações do material;
  • Não alterar as características de seu alicate soldando ou cortando partes, isso poderá enfraquecê-lo;
  • Use sempre óculos de proteção.
h1

Projeto / Madeira / Baú Guarda Coisas

11/08/2011
Dutra Máquinas

PATROCINA ESTE POST

Neste post vamos apresentar o projeto para confecção de um Baú em MDF para guardar brinquedos e outras coisas que você precisar. Primeiramente, o desenho do projeto:

Desenho Técnico das partes do baú

A madeira usada neste projeto foi a MDF (Madeira De Fibra) na espessura de 9 mm, mas recomendamos a utilização de espessura mínima de 15 mm.  Em nosso desenho acima o projeto já esta com suas medidas feitas a partir de um MDF de 15mm.

Nosso primeiro passo é o corte da chapa de MDF para obtenção das partes do Baú. O MDF exige alguns cuidados e alguns deles explicarei em uma matéria mais para a frente. O MDF até pode ser cortado no serrote bem afiado mas as chances de lascas são grandes, pois o MDF tem melhor acabamento com máquinas de cortar de alta velocidade. Tanto a serra Tico-tico como a serra circular com dentes de vídea são recomendadas para um melhor acabamento. Risque a prancha e mãos a obra.

serra circular cortando a pranchaplacas de MDF cortadas

Recorte as laterais da tampa. Esta, por causa da curva, aconselha-se uma Serra Tico-tico em sua velocidade máxima.

Em seguida a todos os cortes verificamos se o acabamentos destes cortes estão bem feitos (caso contrário, passe uma lixa 180 para madeira) e vamos à montagem das partes. IMPORTANTE: Para essa montagem usar parafusos de haste reta e rosca soberba ou pregos estriados ou annular. São parafusos e pregos usados em paredes Drywall (paredes de gesso especiais). Deve ser usada cola para ajudar a fixação, sendo que as recomendadas são as de PVA ou Cola de contato.

pregando as laterais pregando as laterais da tamps

Pego Anular

Com as paredes pregadas e coladas chega o momento de se fixar o fundo, pois tendo a medida externa do baú, colocará o retângulo do fundo no esquadro. Em tudo que fazemos o esquadro da peça é o que dá a precisão dos encaixes e a beleza de uma peça bem montada. Neste passo também colocamos as ripas que acompanharão a curvatura da tampa. Para não errar, coloque (pregando e colando) as ripas das pontas e a do centro e depois como são em número ímpar, vá distribuindo para que os intervalos fiquem iguais. Na parte externa do fundo, em cada extremidade, deverá ser colada e pregada 2 (duas) partes das menores de MDF para fixação das rodinhas com parafusos. Após esta operação a colocação de dobradiças fixando a parte posterior da tampa ao corpo do Baú já pode ser feita.

colocando ripas na tampa colocando rodizios

Estas mesmas partes menores de MDF devem ser coladas e pregadas por dentro da parte dianteira da tampa com a finalidade de guiar e dar perfeição ao fechar da tampa do baú. E também por dentro em cada canto interno do baú, na medida que lhe for conveniente, visando segurar a tábua que divide a área interna do baú tornando-o melhor aproveitado. Na placa que será colocada como divisória, recomendo que sejam cortadas duas aberturas laterais (nesse caso, dois semi-círculos) para que fique mais fácil sua remoção.

guias para tampa lado intrno do baú

Para evitar que a tampa (que agora já tem um peso maior) vire sem limites para trás, coloque em cada lado interno do Baú e lado interno da tampa uma corda de nylon tipo corda de varal amarrada a um conjunto de parafuso e porcas conforme a ordem indicada na ilustração.

limitador abertura da tampa fixação lado interno baú

sistema de fixaçãoPartes do Baú montadas

Pronto. Agora é só pintar (se preferir)!

Baú fechado Baú de tampa aberta

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 370 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: